SUPER PROMOÇÃO RETÍFICA COMPLETA

L200 Outdoor / GLS / HPE 2.5 8v até 2008
“Consulte outros modelos”

Parcelado em 6 x R$ 1.000,00 (cartão de crédito)
Serviços Inclusos:
• Mão de Obra de remoção/instalação/funcionamento
• Mão de obra desmontagem e montagem
• Mão de obra de retifica das peças: virabrequim/cabeçote/bloco/bielas
• Lavagem (banho químico) das peças
Não incluso:
Peças novas para montagem do motor
• Jogo de pistões
• Jogo de anéis
• Jogo de camisast
• Jogo de válvulas
• Jogo de Bronzinas de Mancais e Bielas
• Jogo de Junta completa motor
• Jogo de retentores
• Bomba d’água
• Bomba de óleo
• Filtros de óleo e combustível
• Correia
• Esticador de Correia
* E outras peças novas que se fizerem necessárias para o devido funcionamento do motor como por exemplo: mangueiras, embreage, sensor, bicos injetores e etc.
 

CARRETA REBOQUE

Carreta/Reboque/Ano 2009/Preta
R$ 7.000

Recém reformada, piso novo, travessas novas, pintura nova.
Freio mecânico. Suporte externo para duas motos.
*Só falta lona nova.

Dimensões: 2,00m
Largura: 4,00m
Comprimento: 1,30m
Altura Interna (útil): 1,75m
Altura Externa (medido a partir do chão): 9,3m³

Refrigeração do Motor

Falta de manutenção pode provocar a fusão do motor.

Especialista explica como funciona o sistema de arrefecimento.

Muitos motoristas já ouviram falar, já viram, ou foram vítimas mesmo, de um carro que o motor ferveu. Ou seja, de um automóvel cuja temperatura do motor excedeu-se e parou de funcionar. O sistema encarregado de fazer a refrigeração do motor chama-se arrefecimento. Poucos se dão ao trabalho de zelar para que esse mecanismo funcione corretamente e não o deixe na mão. Na prática a maior parte dos motoristas só pede para que o frentista do posto cheque o nível da água. Pois saiba que isso não basta.

Antes vamos entender o sistema de arrefecimento. Alguns motores, como o do Fusca, por exemplo, são refrigerados a ar, ou seja, não possuem circulação de água internamente. Esse sistema retira o calor do motor diretamente para o ambiente. O método de funcionamento e fazer o ar quente passar por algumas aletas encarregadas de refrigerá-lo. Ele entra quente e sai esfriado. O ar pode ser conduzido ao motor por efeito dinâmico ou forçado por um ventilador ou mesmo turbina. 

Já a maioria dos motores é refrigerada a água e possuem um sistema de circulação interna, em que a água percorre os dutos do motor fazendo trocas de calor. A água passa pelo bloco do motor e refrigera a parte metálica que se encontra com temperatura elevada. Assim o líquido esquenta e vai para o radiador e então a temperatura da água baixa, logo ela volta ao sistema para trocar calor novamente com o bloco do motor. Esse sistema faz com que o motor mantenha uma temperatura estabilizada.

Para se ter uma idéia das temperaturas internas do motor observe a tabela abaixo:


Etapa Temperatura
- Passagem da mistura de ar/combustível pelo coletor de admissão 120ºC
- Compressão da mistura dentro do cilindro 300ºC a 600ºC
- Combustão da mistura 2.000ºC a 3.000ºC
- Saída dos gases resultantes pelo coletor de escapamento 1.300ºC a 1.600ºC

Componentes do sistema de arrefecimento


O sistema de arrefecimento é composto pelos seguintes itens:

- Radiador
Equipamento cuja finalidade é fazer a troca de calor da água aquecida pelo motor para o ar ambiente a fim de manter a temperatura do motor dentro níveis estabelecidos pelo fabricante.

- Reservatório de água ou de expansão
Recipiente destinado a armazenar água. O liquido de refrigeração do motor, normalmente se perderia por expansão ou evaporação, para evitar isso esse liquido é recolhido nesse reservatório de plástico semitransparente para possibilitar a visualização do nível.

Desse modo, o sistema é mantido plenamente cheio e assim não requer reabastecimento constante de água. Muito o chamam de sistema de circuito selado.

- Válvula termostática
É uma válvula destinada a ajustar o fluxo de água entre o motor e o radiador. Com o motor em funcionamento, ainda frio, o fluxo de água para o radiador fica temporariamente interrompido a fim de facilitar o aquecimento do motor. Por volta dos 70ºC a válvula se abre para que a água circule e chegue ao radiador. A válvula também trabalha para o sentido oposto, quando a temperatura externa é muito fria e o motor tende a esfriar abaixo do mínimo indicado pelo fabricante. Assim ela fecha para permitir que o motor se aqueça.

- Ventilador
Trata-se de uma hélice destinada a aumentar o fluxo de ar pelo radiador, principalmente quando o automóvel encontra-se parado, mas com o motor em funcionamento. Ou então em tráfegos pesados, cujo veículo anda em baixa velocidade. Alguns carros contam com hélice mecânica, movimentada pelo próprio motor, outros contam com ventoinhas, sistema elétrico que aciona apenas quando o motor atinge altas temperaturas.

- Bomba d'água
A bomba faz circular o liquido de arrefecimento entre o motor o radiador. É Acionada pelo virabrequim, mas alguns motores contam com bombas elétricas. 

Fonte: G1 / http://g1.globo.com/Noticias/Carros/0,,MUL990299-9658,00-SAIBA+COMO+CUIDAR+DO+SISTEMA+DE+REFRIGERACAO+DO+MOTOR+DO+SEU+CARRO.html

acesso 28/09/2017

Manutenção: fique de olho nas correias

Manutenção: fique de olho nas correias
As correias exercem diversas funções no motor e têm de ser trocadas a cada 60 mil km, em média. A peça não é cara, mas, se a substituição for ignorada ou postergada e o componente se romper, poderá haver graves danos ao propulsor e até a necessidade de retífica. Para um modelo 1.0, o custo do reparo pode passar dos R$ 2 mil.

Na maioria dos motores há duas correias. A sincronizadora, conhecida popularmente como “dentada”, é responsável por “alinhar” o movimento dos pistões com o das válvulas. A outra é a de acessórios.Se a sincronizadora romper, o pistão pode atingir as válvulas do cabeçote, entortando-as e até mesmo quebrando-as. Isso gera danos graves ao motor.

O prazo médio para troca da correia dentada, feita de borracha, é de 60 mil km. Mas o motorista deve seguir a recomendação da montadora expressa no manual do veículo.A peça não é cara. Na rede Jocar (3797-0777), por exemplo, sai por R$ 43,40 para um Gol 1.0. Já a retífica do motor, que pode ser necessária em caso de quebra da correia, sai a R$ 2.500, para o Volkswagen na Finão e Filho (2969-6171), oficina na zona sul.

Ao trocar a correia também é preciso substituir os rolamentos tensores da correia, que mantêm o componente no lugar e com a tensão ideal. Em carros mais simples há apenas um tensor, mas há motores com dois, que custam R$ 80 cada, em média.

A troca do conjunto completo custa R$ 280 para um Fiat Palio com motor 1.4 na Itacar (3285-5186), oficina no centro da capital, mas pode passar dos R$ 1 mil, de acordo com a complexidade do serviço. Há casos em que é preciso remover o motor para chegar à peça.

Alguns propulsores, como os Ford RoCam utilizados na geração anterior do Fiesta, vinham com corrente metálica em vez da correia dentada. Nese caso o sistema dispensa qualquer tipo de manutenção preventiva e tem durabilidade igual à do motor.

Poly-V.A correia de acessórios, conhecida como “poly-v” , custa cerca de R$ 50, fica destacada por fora do bloco e aciona periféricos como alternador e bomba da direção hidráulica. Se quebrar, a direção perderá a assistência e haverá falhas elétricas.

Outro risco é o superaquecimento do motor. Em caso de sinal de falha, deve-se parar imediatamente e não tentar dar a partida, sob pena de agravamento dos danos.

Fonte: Jornal do Carro / http://jornaldocarro.estadao.com.br/servicos/manutencao-fique-de-olho-nas-correias/

Acesso: 28/09/2017